Seguidores

quinta-feira, 13 de novembro de 2008

FPF DIZ QUE PM NÃO VAI MUDAR TABELA

JORNAL DO COMMERCIO 13/11/2008
A Federação Pernambucana de Futebol bateu o pé e diz que só vai mudar a tabela por solicitação da TV Globo, que detém os direitos de transmissão do Estadual, contrariando a Polícia Militar, que faz objeção à realização de jogos dos times da capital no mesmo dia e horário, como marca a tabela. Ontem, tanto o presidente da FPF, Carlos Alberto Oliveira, quanto o secretário-geral, João Caixero, garantiram que as partidas não serão mudadas por causa do policiamento. O comando do Batalhão de Choque vai procurar a FPF para tentar a conciliação.
“A tabela é a que foi divulgada (segunda-feira). Só vai ser alterada, se a televisão solicitar”, afirmou Caixero, garantindo que as partidas no Recife, realizadas no mesmo dia e horário, não sofrerão mudanças. Já Carlos Alberto colocou em xeque a atuação da PM. “É estranho um Estado que quer ser sede de Copa do Mundo não ter condição de administrar o Estadual”, questionou. “Não aceito que a polícia queira fazer a tabela”, completou.
O comandante do Batalhão de Choque da Polícia Militar de Pernambuco, major Vanildo Almeida, afirmou que não vai entrar em polêmica e encaminhará um documento, hoje, para a Diretoria Geral de Operações (DGO) da PM. “A polícia tem que ser ouvida. Não se pode tomar uma decisão desta de forma unilateral. Vou apresentar as dificuldades para o Comando, que deve procurar a Federação para tentar uma solução”, ponderou o major.
Em quatro das 11 rodadas do Pernambucano, há coincidência de horários entre as partidas de Náutico, Sport ou Santa Cruz. “A PM é fundamental para a realização do jogo. Temos que oferecer as condições adequadas para os torcedores, mas com duas partidas na mesma hora fica difícil”, acrescentou. O principal problema da PM é a falta de efetivo para duas partidas simultâneas.
O diretor do DGO da PM, coronel Antônio Carlos Tavares Lira, disse que vai aguardar o relatório do major Vanildo para procurar a Federação para uma conversa. “A tabela da competição é de responsabilidade da FPF, mas só que para acontecer o jogo tem que ter polícia. É de interesse de todos que o campeonato seja realizado com a segurança adequada e não tem porque não resolvermos esta situação”, comentou o coronel.

quarta-feira, 12 de novembro de 2008

PORTO SE PREPARA PARA PERNAMBUCANO 2009

A Federação Pernambucana de Futebol divulgou nesta terça-feira a tabela do Pernambucano 2009, o Porto estréia fora de casa contra o Serrano dia 11 de janeiro e faz seu primeiro jogo em casa dia 14 de janeiro contra o Santa Cruz.
O Gavião se apresenta para iniciar a pré-temporada no dia 17 de novembro com o plantel formado por atletas da base e o técnico já confirmado será Adelmo Soares.
Confira os jogos do Gavião no 1º Turno
SERRANO X PORTO 11/01
PORTO X SANTA CRUZ 14/01
PORTO X PETROLINA 18/01
CENTRAL X PORTO 21/01
PORTO X SPORT 25/01
SALGUEIRO X PORTO 28/01
PORTO X VITORIA 01/02
PORTO X SETE DE SETEMBRO 04/02
CABENSE X PORTO 08/02
NAUTICO X PORTO 11/02
PORTO X YPIRANGA 15/02

TABELA DO 1°TURNO TEM SÉRIE DE FALHAS

JORNAL DO COMMERCIO 12.11.2008
A tabela do primeiro turno do Campeonato Pernambucano 2009 apresenta, pelo menos, três falhas na sua formulação. Realizado num curto intervalo de tempo – em 35 dias os clubes jogarão 11 vezes, a primeira parte do Estadual prevê a realização de jogos dos times da capital no mesmo dia e horário, fato contestado pelo Batalhão de Choque (ver matéria ao lado), e má distribuição das partidas – Santa Cruz e Petrolina, por exemplo, jogarão apenas duas vezes em casa, nas sete primeiras rodadas, situação oposta à do Serrano, que joga cinco em seus domínios no mesmo período. Alternando partidas dentro e fora de casa, a tabela é mais justa ao Náutico.
Organizado fora do calendário da CBF, que prevê o início das competições estaduais para o dia 21 de janeiro – o Pernambucano começa no dia 11 –, o Estadual vai ser uma verdadeira maratona para os clubes, já que terá jogos no esquema quarta/domingo, com pouco tempo de preparação para os jogadores, logo no começo de temporada.
“O ideal seria a cada semana com dois jogos, a seguinte ser livre. Todo ano a gente sofre com isso”, comentou o fisiologista do Sport, Inaldo Freire. “É por isso que os times do interior chegam fortes no começo, pois eles têm tempo de preparação”, completou. Freire emendou afirmando que não adianta poupar jogadores no início da temporada para fazer um trabalho em separado. “O Náutico usou a estratégia este ano e não se deu bem. O torcedor quer resultado e não tem paciência”.
Os sentimentos de Santa Cruz e Petrolina, apesar de estarem na mesma situação na tabela, são opostos. Enquanto os tricolores acharam bom fazer uma seqüência de jogos fora de casa para reformar o Arruda, os sertanejos não ficaram satisfeitos. “Isso não existe. Vou ligar para a Federação para saber o que pode ser feito para mudar”, disse o presidente do Tigre do Sertão, Jefferson Correia.
Pelo lado coral, o representante do clube no Conselho Arbitral, Fred Arruda, afirmou que o time que quer ser campeão não escolhe o adversário. “Não temos que pensar nisso. No começo está todo mundo em formação e ninguém leva vantagem”.
O vice-presidente de futebol da FPF, Bento Albuquerque disse que a tabela definitiva será anunciada até o dia 21 e que até lá pode haver mudança. “O Estatuto do Torcedor nós da este prazo para fazer os retoques. Então, vamos esperar”, comentou.
Quem está feliz com a tabela é o Serrano, que ontem anunciou o técnico Erasmo Fortes (ex-Porto). “Teremos a possibilidade de engrenar no turno. Vamos ‘botar quente’”, disparou o presidente José Raimundo.
PM PEDIRÁ MUDANÇA DE ALGUNS JOGOS
O comandante do Batalhão de Choque da Polícia Militar de Pernambuco, major Vanildo Almeida, sinalizou que vai pedir à FPF que modifique a tabela do 1º turno do Estadual do próximo ano. De acordo com o oficial, a PM não tem efetivo suficiente para administrar dois jogos de clubes da capital no mesmo dia. Em quatro das 11 rodadas do Campeonato, há coincidência de horários entre as partidas de Náutico, Sport ou Santa Cruz.
“É complicado controlar dois jogos ao mesmo tempo. O problema não é só na área interna, mas na externa. O Choque é contra isso, pois a gente não dispõe de meios suficientes para as partidas”, afirmou o major Vanildo.
O oficial disse que vai analisar a situação para solicitar a modificação da tabela. “Precisamos de, pelo menos, 80 homens em cada partida. A grande dificuldade é o pós-jogo. Devemos mandar um documento para a Federação até a próxima semana para que eles possam rever essas partidas”, admitiu. É comum no Estado as torcidas organizadas realizarem arrastões e marcarem brigas, antes e depois dos jogos.
Vale ressaltar que o último clássico entre Sport e Náutico, no mês passado, pelo Brasileirão, foi marcado por muita confusão entre policiais e torcedores, fato que motivou o juiz Aílton Alfredo de Souza, coordenador do Juizado Especial do Torcedor de Pernambuco, a determinar um maior rigor da Polícia diante dos “grupos organizados”.
As partidas que coincidem o horário são: Sport x Vitória e Náutico x Cabense, pela 1ª rodada, Sport x Serrano e Santa Cruz x Central (pela 3ª), Náutico x Central e Santa Cruz x Ypiranga (pela 5ª), Sport x Cabense e Santa Cruz x Serrano (pela 8ª). Os clássicos serão nas 7ª, 9ª e 11ª rodadas.

domingo, 9 de novembro de 2008

EDMILSON SANTOS ANALISA ADVERSÁRIOS DO PORTO NA COPA SÃO PAULO

JORNAL VANGUARDA 07/11/2008
O treinador dos juniores do do Porto, Edmílson Santos, analisou as chances e os adversários da equipe na Copa São Paulo de Futebol Júnior, que será disputada em janeiro de 2009. Na primeira fase, divulgada pela FPF na semana passada, o Gavião do Agreste vai jogar na cidade de Jacareí. Além dos donos da casa, o clube irá enfrentar Atlético-PR e Paulista.Ao VANGUARDA, Edmílson Santos considerou a chave do Porto complicada devido às forças de Atlético-PR e Paulista. "O grupo é difícil. Paulista e Atlético-PR são dois grandes clubes, tradicionais em revelar jogadores", afirmou. Sobre o clube anfitrião, o Jacareí, o treinador foi direto. "Tenho poucas informações a respeito dessa equipe", acrescentou.Sabendo das dificuldades que encontrará na competição, o técnico do Porto garantiu que a delegação não viajará a São Paulo a "passeio", até pela tradição que o clube possui em revelar atletas das categorias de base. "É um torneio muito curto e de nível nacional. Nós não vamos a passeio. Nosso objetivo é chegar o mais longe possível", comentou.Dos três clubes que o Porto jogará na primeira fase, Edmílson Santos não precisou pensar muito ao escolher o adversário a ser batido no grupo. "Pelo conhecimento, o Atlético-PR. É um time mais conceituado e participa da primeira divisão do futebol brasileiro. Mas vamos correr atrás. É um campeonato muito difícil", finalizou o treinador.A viagem da delegação do Porto para São Paulo ainda não foi definida. Há pouco mais de dois meses do início do principal torneio de base do futebol brasileiro, a diretoria do Gavião não sabe se a equipe viajará no dia 2 ou 3 de janeiro.

sexta-feira, 7 de novembro de 2008

VITÓRIA E CABENSE: REALIDADES OPOSTAS

JORNA DO COMMERCIO 02/11/2008
Campeão e vice da Série A2 do Campeonato Pernambucano, Vitória e Cabense voltam à elite do futebol estadual em 2009, mas ainda terão que passar por reparos em seus estádios até o começo da Série A1. No entanto, as situações dos clubes em relação às reformas são opostas. Enquanto o Vitória está com o Carneirão amargando um péssimo gramado e devendo laudos oficiais, a Cabense – amparada pela Prefeitura do Cabo – precisa de só alguns retoques no campo do Gileno de Carli. O JC visitou os estádios citados para analisar a situação e escutar as promessas de melhoras.
VITÓRIA
Degradação do campo e falta de laudos oficiais
Contando com uma campanha quase perfeita como campeão da Série A2 de 2008 – aproveitamento de 88,8%, com 14 vitórias, três empates e apenas uma derrota –, o Vitória não vive a mesma boa fase quando se fala da questão estrutural de seu estádio, o Carneirão. Interditado desde setembro pela Federação Pernambucana de Futebol, o campo de jogo dos vitorienses terá que melhorar bastante para conseguir condições decentes de jogo na elite estadual. Durante a Segundona, o time disputou suas partidas como mandante no estádio José Vareda, em Limoeiro.
Mas os problemas não param por aí. Segundo a FPF, a suspensão de funcionamento do estádio se deu pela falta de condições relatadas no relatório da Polícia Militar, além de não terem sido entregues os laudos do Corpo de Bombeiros, Crea, Vigilância Sanitária e Celpe. Um fato curioso é que, quando a reportagem do JC visitou o estádio, o portão lateral que dava acesso à área de bastidores e o portão para o campo estavam escancarados. Apesar dos chamados, ninguém apareceu.
Segundo o presidente do clube, Paulo Roberto, a melhoria do gramado começará a ser realizada este mês e haverá contato com os órgãos para que todos os documentos necessários cheguem às mãos da FPF. “Pode colocar aí, o Carneirão terá o melhor gramado de todos os times do interior de Pernambuco no ano que vem”, garantiu o dirigente. De acordo com ele, o motivo da degradação se deu por conta de jogos do campeonato da Liga Vitoriense. “Como a situação estava ruim, resolvemos ir direto jogar em Limoeiro.”
De acordo com o diretor-técnico da FPF, Bento Albuquerque, ainda não há uma data oficial para acontecer uma nova vistoria no Carneirão. “Ainda será algo a ser formalizado. O time demonstrou interesse em realizar suas partidas em Vitória, então também terá de haver uma conversa com o novo prefeito, já que o estádio é municipal”, disse.
Procurado pela reportagem, o prefeito eleito Elias Lira, que assume em janeiro do ano que vem, se mostrou disposto a colaborar. “Dentro das condições da prefeitura, faremos o possível para que o estádio tenha condições de jogo. Só que tudo tem de ser feito sob a lei e com responsabilidade, sem correria e com as documentações necessárias para o caso de alguma mudança estrutural”, disse.
Já falando em futebol propriamente dito, o Vitória quer manter a base do time campeão da Segunda Divisão para a disputa da Série A1. Com isso, já confirmou a permanência do experiente Peu Santos no comando. “Pretendemos contratar dez jogadores, sendo sete de Pernambuco e outros três de outros estados do Nordeste. Além disso, na próxima semana conversaremos com outros atletas do elenco. Dinda (experiente volante, ex-Náutico e Sport) também está acertado”, disse o técnico.
CABENSE
Reforma geral, mas só após o Pernambucano
Vice-campeã da Série A2 do Campeonato Pernambucano de 2008, a Cabense parece caminhar por uma trilha mais fácil do que o adversário que o derrotou na final, o Vitória. Enquanto o time vitoriense terá problemas estruturais para resolver, a equipe do Cabo já começou os ajustes no gramado que usará na Primeira Divisão estadual em 2009. Além disso, conta com um projeto de reforma geral do estádio Gileno de Carli, que começará a sair do papel a partir de maio do próximo ano.
A ampliação, que está em trâmites finais de aprovação pela prefeitura da cidade, aumentará a capacidade de 2.500 para 10 mil pessoas. Também contemplará outros pontos do estádio que estão um pouco a dever para um time da elite pernambucana.
“Vamos ter novos vestiários, apartamentos para os atletas, sala de musculação e refeitório. Estamos em parceria com a prefeitura. As obras devem começar em maio de 2009”, explicou o diretor Carlos Kila.
“A população do Cabo vem crescendo muito com o crescimento do pólo (de Suape), e é necessária uma ampliação para atender à demanda. A melhora não será só a nível de capacidade, mas também da estrutura. O prefeito já garantiu uma parte dos recursos e temos o projeto para conseguir o que falta”, afirmou o secretário de Cultura e Esporte do Cabo e ex-treinador da Cabense, Rinaldo da Costa.
Um ponto que sempre rendeu reclamações, principalmente dos três times grandes do Estado, são os bancos de reserva – pequenos, no nível do campo, colados no alambrado e sem proteção adequada contra a chuva. “Temos consciência de que o banco é acanhado, mas não posso fazer algo agora que será mudado na reforma maior, depois”, argumentou Kila.
Quando a reportagem do JC esteve no Gileno de Carli, o secretário Rinaldo da Costa estava visitando as dependências com dois profissionais especializados no gramado – que não apresentava grandes danos, mas estava irregular em alguns pontos. “Essa é uma das prioridades para o Campeonato Pernambucano do ano que vem. Além disso, o alambrado também será reforçado”, disse Rinaldo.
Para que seja cumprida a determinação da Federação Pernambucana de Futebol de que o local de jogo tenha espaço para pelo menos 5 mil pessoas, o clube contará com arquibancada móvel atrás de um dos gols, o que aumentará a atual capacidade de público para 5.500.
Sobre o planejamento para a temporada 2009, as novidades começarão a aparecer a partir desta semana. Está marcado para amanhã um encontro entre diretores e patrocinadores, onde serão definidas, entre outras coisas, a permanência do treinador gaúcho Rogério Zimerman e o orçamento para a contratação de atletas.