Seguidores

terça-feira, 23 de dezembro de 2008

GRAMADOS DO INTERIOR EM XEQUE

JORNAL DO COMMERCIO 21/12/2008
Fortemente criticados no ano passado – com razão –, os gramados dos estádios do interior que servirão de palco para os jogos do Campeonato Pernambucano 2009, a partir do dia 11 de janeiro, estão sendo avaliados com mais rigor pela Federação Pernambucana de Futebol. Tanto que a maioria dos times está fazendo a pré-temporada em outros locais e até em cidades vizinhas, como prova de preservar os terrenos.
A reportagem do JC visitou os oito estádios fora da capital – Luiz Lacerda (Central e Porto), Gigante do Agreste (Sete de Setembro), Otávio Limeira Alves (Ypiranga), Carneirão (Vitória), Gileno de Carli (Cabense), Cornélio de Barros (Salgueiro), Pereirão (Serrano) e Paulo Coelho (Petrolina) – e conferiu de perto o esforço dos clubes para melhorar os campos, que ainda carecem de uma melhor condição até o pontapé inicial.
Um dos maiores alvos da edição 2008 foi o Gigante do Agreste, principalmente após o 1x1 entre Sete de Setembro e Sport, pela 2ª rodada da 1ª fase, que passou pela TV. A bola parecia viva, de tanto que quicava no duro gramado. A duras penas, o Sete conseguiu se segurar na elite, e para 2009 o novo presidente – o cardiologista Célio Cabral, que assumiu após a saída do norte-americano Andrew Hazelton –, resolveu investir na recuperação do Gigante. De acordo com ele, cerca de R$ 50 mil foram gastos com a infra-estrutura do estádio e com o gramado, que foi revestido de areia por baixo da grama para deixar o terreno menos duro. Estratégia parecida foi adotada pelo Ypiranga, no Otávio Limeira Alves, que aliás é o que mais preocupa a FPF até o momento.
“Gostei muito do trabalho feito no Gigante do Agreste, cujo gramado está bem melhor, exceto nas laterais. Já o Otávio Limeira Alves (Santa Cruz do Capibaribe) e o Luiz Lacerda (Caruaru) estariam reprovados, caso o campeonato fosse hoje. Mas como todos os clubes estão se esforçando para atender às nossas exigências, acredito que todos os gramados estarão aptos. Quem não cumprir as exigências não joga”, ameaçou o vice-presidente da Federação Pernambucana de Futebol, José Joaquim Pinto de Azevedo, que ainda vai visitar o Cornélio de Barros (Salgueiro), Pereirão (Serra Talhada), Paulo Coelho (Petrolina) e Gileno de Carli (Cabo), além da Ilha do Retiro, Aflitos e Arruda, que por sinal, está recebendo um gramado totalmente novo. O prazo dado pela FPF para os clubes atenderem às solicitações é 2 de janeiro.
Uma das mais tradicionais praças esportivas do interior, o Carneirão – que este ano volta a recepcionar jogos do Vitória na elite –, também passa por uma nova roupagem. Em alguns trechos, foram enxertados tapetes de grama esmeralda. O piso já passou por dois cortes, mas ainda tem irregularidade. Além do gramado, o estádio terá um novo setor de cadeiras, além de bancos de reservas reformados. De acordo com o presidente do Vitória, Paulo Roberto, o custo chega aos R$ 100 mil.
Já o Salgueiro vai inaugurar novas cabines para a imprensa e tribuna de honra, climatizadas e com elevador, no Cornélio de Barros. Aliás, o estádio deve abrigar também os primeiros jogos do Petrolina, já que a arquibancada do Paulo Coelho está interditada pelo Ministério Público.

Nenhum comentário: