Seguidores

quarta-feira, 17 de fevereiro de 2010

PORTO VENCE NÁUTICO NOS AFLITOS


Desentrosado e fraco tecnicamente, o Náutico mostrou um futebol digno de Quarta-Feira de Cinzas. O resultado não poderia ser outro: perdeu para o Porto por 2x1, de virada, nos Aflitos.
Nos primeiros minutos o Náutico sofreu os efeitos de um meio de campo mais voltado à marcação e a falta de entrosamento do meia Felipe Pinto com seus companheiros. Com isso, o jogo ficou mais preso no meio e com poucas oportunidades de finalização perigosas.
O Náutico deu seu primeiro sinal de vida com o volante Derley, escolhido para auxiliar a armação e chegar mais à frente. Ele chutou torto aos sete minutos e a bola foi para fora. Sem ter como entrar na área do Náutico coube ao Porto arriscar de fora da área. Mas a tentativa de Anderson, apenas um minuto depois, foi bem longe do gol de Gledson.
E foi justamente Derley o jogador a levar seu time ao ataque. Porém, o falta de uma regularidade na escalação atrapalhou bastante. Some-se a isso o fato de o lateral-direito jogar de improviso - Tinga é volante de origem. E Derley estava esboçando o que viria aos 35. Ele recebeu de Carlinhos Bala e soltou uma bomba de pé esquerdo no meio do gol para fazer 1x0.
Mesmo vencendo, o técnico Guilherme Macuglia mexeu duplamente apenas três minutos depois. Geílson entrou no lugar de Rodrigo Dantas e Élton Luiz assumiu o posto de Nílson. Com isso, Carlinhos Bala recuou para fazer a função de meia. E foi Bala que protagonizou o próximo lance polêmico.
Aos 43 minutos ele entrou na área e, ao tentar driblar o goleiro, caiu. O árbitro intepretou como simulação e advertiu o jogador com o cartão amarelo. Como foi o terceiro, o atacante não enfrenta o Sport no próximo sábado (20), na Ilha.
Na volta para o segundo tempo, os dois times mal se arrumaram no gramado quando o Porto chegou ao empate. Aos 45 segundos, Fabian fez boa jogada e Arlindo completou com categoria no canto esquerdo de Gledson. O gol do Gavião potencializou os problemas do Náutico que, com um volante a menos, cedeu mais espaço ao adversário.
Dessa forma, o jogo ganhou um perigoso equilíbrio para os alvirrubros. Kiros quase vira o placar aos sete, numa cobrança de falta que passou raspando o gol. Mas o timbu respondeu na mesma moeda aos 13. Derley cruzou para Carlinhos Bala, em cima da linha da pequena área, mandar para fora.
No jogo de lá e cá, o Porto voltou a assustar aos 19 quando Aírton chutou na rede, pelo lado de fora. Aos 30, Derley, em nova boa investida, cruzou para trás e ninguém acompanhou a jogada para concluir. Dois minutos depois, o Porto seguiu a cartilha corretamente. Aírton fez boa jogada pelo lado direito, cruzou e Fabian apareceu sem marcação para empurrar para o fundo das redes.
Nos minutos finais, o Porto ainda teve Romero Caruaru expulso. O time recuou completamente e o Náutico, na base do desespero e ansiedade, não conseguiu empatar.

Nenhum comentário: