Seguidores

quarta-feira, 24 de março de 2010

PORTO PERDE DE VIRADA... DE NOVO


E mais uma vez a história do último jogo se repetiu, o Porto fez 2xo em cima do Santa Cruz e não conseguiu segurar o resultado tomando a virada e perdendo a partida por 3x2.
O Santa começou o jogo tentando impor seu jogo a exemplo dos dois últimos compromissos no Arruda, contra Botafogo e Náutico. O time detinha mais a posse da bola mas sem objetividade. O único lance de perigo foi fruto de um erro do goleiro Romero, que largou uma bola em cima da linha e segurou em seguida depois de cobrança do escanteio.
A objetividade que faltava ao tricolor sobrou no Porto, que na primeira investida abriu o placar. Aos 11 minutos, João Carlos cruzou da direita, Arlindo fez o corta luz e Kiros chutou forte, sem chance de defesa para Tutti. Apenas sete minutos depois, o Porto foi novamente ao ataque enquanto o Santa tentava uma pressão inútil. E na nova empreitada o Gavião se deu bem, pois o árbitro marcou pênalti de Goiano em Kiros. Fabian foi para a cobrança e converteu.
Com o marcador adverso, o Santa ficou nervoso e cometeu erros bobos. A torcida percebeu e esboçou as primeiras vaias à equipe. Mas o time conseguiu se acalmar, pôr a bola no chão e correr atrás do tempo perdido. De tanto tentar, a recompensa veio aos 34. Num cruzamento de Jefferson, Joelson subiu bem e cabeceou no canto direito.
A empolgação do gol transformou o empate em questão de tempo. E ele veio mais rápido do que os tricolores mais confiantes esperavam. Foram apenas cinco minutos. Numa lance fora da jogada, João Carlos agrediu Leo dentro da área. O árbitro não só marcou pênalti como também expulsou o jogador do Porto. Elvis foi para a cobrança e não perdoou: 2x2.
Para o segundo tempo os dois times voltaram com mudanças. No Santa, Marcelinho veio no posto de Serginho. Já no Porto, Alemão substituiu Kiros. Mas foi o tricolor quem manteve a pressão que marcara os 20 minutos finais da primeira etapa. Tanto que logo no primeiro minuto, Marcelinho cabeceou cruzamento de Jefferson e o Romero espalmou.
Aos seis foi a vez de Goiano testar o camisa um do adversário, que novamente mandou a escanteio. Mesmo com dificuldade em segurar a bola, Romero foi impedindo a virada coral. Aos 19 Elvis chutou e o goleiro não segurou de primeira. Ele conseguiu se recuperar antes da chegada de Joelson.
Marcelinho também tentou novamente aos 26, mas outra vez o camisa um do Gavião intercedeu bem. Com um jogador a menos coube ao Porto praticamente tentar manter o marcadar. Um raro ataque aos 21 dos caruaruenses teve boa participação do goleiro Tutti, que saiu bem do gol e ficou com a bola antes da chegada de Rogério.
A pressão estava tão grande que até zagueiro chegou com boas condições de marcar. Aos 30 minutos, Luiz Eduardo soltou uma bomba e, para variar, Romero atrapalhou a festa. Ele só não pôde evitar o pênalti de Romero Caruaru em Gaúcho, aos 39. O jogador do Porto, indignado, foi aos repórteres que estavam à beira do gramado para reclamar do juiz. Antônio Hora Filho não teve dúvida e o expulsou.
O sangue de Romero ferveu ainda mais e foi ao meio do campo e tirou a camisa, jogando-a no chão. Depois tentou partir para cima do juiz. Até o técnico Charles Muniz teve que intercer para acalmar seu pupilo. Depois de muita demora, Elvis foi para a cobrança e decretou a virada.

3 comentários:

chelbritto disse...

Isso é uma vergonha , assaltaram o porto. Esse juiz ja é conhecido , veio corrido de sergipe,a federação esta fazendo arrumadinho para colocar o santa no quadrangular, o que aconteceu ontém foi roubo, assalto do apito.

Allyson Rodrigues disse...

Olhando os lances pela tv também não entendir nada, dois penaltis bem mandrakes que marcaram. Mas o que interessa para federação Pernambucana é que o Santa Cruz se classifique para Série D.

Douglas Leonel disse...

Romero eu estou com vc meu irmão, não justificas porque seus amigos não precisa e seus inimigos não acredita. vc é um cara integro! abraços.