Seguidores

quarta-feira, 14 de janeiro de 2015

CASA NOVA, VELHA ROTINA

Nem o fato de jogar em sua nova casa ajudou o Porto na tarde desta quarta-feira em Caruaru. No primeiro clássico entre Porto e Central no retorno do Antônio Inácio, melhor para a Patativa, que venceu o Gavião de virada: 3 a 1. O jogo foi válido pela decima rodada do Campeonato Pernambucano.
Em seus domínios, o Porto começou mandando na partida, tocando bem a bola e envolvendo o adversário, chegou ao primeiro gol logo aos 13 minutos. Jorge encontrou Jefinho livre dentro da área. O atacante dominou e tocou na saída do goleiro, porém, antes da bola entrar, surgiu Kiros, empurrando para o fundo da rede a abrindo o placar para o Gavião.
O gol fez o Porto recuar. O Central, comandado por Luiz Fernando tentava procura espaços no meio da defesa do Gavião, aproveitando a boa movimentação de Juninho Silva e William.

Aos 16, Jailton cobrou falta, Rudison quase se atrapalha, mas acabou defendendo em dois tempos.
O Porto chegava apenas em bola paradas. Aos 22, Kiros cobrou falta, Beto soltou e no rebote Jefinho perdeu grande chance chutando em cima do próprio goleiro alvinegro.

Mais uma bola parada para o Porto, mais uma vez Kiros, dessa vez aos 35 minutos. O atacante cobrou falta com perigo, a esquerda de Beto.

De tanto assistir, o Central respondeu na mesma moeda, com mais competência. Jailton cobrou falta da direita, Rudison falhou feio, aceitando uma bola fácil. Estava empatada a partida.
Se com a vantagem o Porto não se acertava em campo, o empate deixou o time ainda mais nervoso. O time acabou sendo engolido pelo adversário no segundo tempo. Foi preciso apenas quatro minutos para a Patativa virar o jogo. William tabelou com Píteo e da entrada da área chutou rasteiro, Rudison pulou, mas não alcançou nada. Estava decretada a virada do Central: 2 a 1.

Sem ter o que fazer com o banco limitado, Serjão tirou Luquinha para a entrada de Joelton, que nem viu a cor da bola. Não fosse algumas investidas de Kiros, numa bola parada e em outra bola aérea, Beto teria passado em branco na etapa complementar.

Aos 22 veio o golpe de misericórdia. Juninho Silva recebeu na entrada da área e chutou no ângulo de Rudison. 3 a 1 Central.

O Central passou a administrar a partida, o Porto tentava envolver o adversário, mas faltava espirito ao time, que acabou sendo mentalmente destruído pelo terceiro gol.


Com o resultado, o Central se isola ainda mais na liderança da competição com 20 pontos, muito próximo de uma vaga no Hexagonal Final. O Porto estaciona nos 13 pontos, e pode ficar mais distante de uma vaga no G-2, dependendo do resultado da rodada.

Nenhum comentário: